Preço dos combustíveis gera “rotatividade” entre empresários do segmento

Aumentos contínuos estão gerando dificuldades financeiras para comerciantes

Augusto Araújo -
Posto Ipiranga, na Engenheiro Portela. (Foto: Reprodução)

Dois meses depois de um aumento súbito no preço, os empresários donos de postos de combustível estão precisando se reinventar para equilibrar as finanças.

Ao Portal 6, o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados do Petróleo em Goiás (Sindiposto), Márcio Andrade, explicou que os comerciantes estão sofrendo com o aumento contínuo dos valores.

“Os empresários estão em dificuldade, recorrendo a bancos para tentar a sobrevivência do negócio. O que estamos vendo recentemente é uma troca de donos nesses comércios”.

“Geralmente os postos não costumam fechar. Mas vemos casos de novos empresários assumindo no lugar de outros, que não estão conseguindo se sustentar”, explicou.

Márcio também pontuou que o cenário pouco mudou nos últimos dois meses. No entanto, ele destacou: “O cliente agora migrou definitivamente para o etanol, que voltou a ficar competitivo”.

Conforme o último levantamento semanal publicado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o preço do litro do combustível estava na faixa média de R$ 5,199.

Isso indica que o etanol está sendo comercializado por um valor melhor ao cliente, visto que a gasolina está custando em média R$ 7,594 pelo litro (32% mais barato).

Vale lembrar que, pela diferença de rendimento entre os combustíveis, o litro do etanol deve custar até 70% do litro de gasolina para valer a pena para o cliente.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade