Conheça o anapolino que venceu o desemprego e a falência e hoje é sucesso na internet com o que ama

Só no Youtube, Linker já tem quase 45 milhões de visualizações e 159 mil inscritos e, em entrevista ao Portal 6, ele revelou que sonha com muito mais

Lucas Tavares -
Irlando Silva Campos, de 31 anos, mais conhecido como Linker. (Foto: Arquivo Pessoal)

Se há uma carreira que hoje não está em crise, é a de streamer. Em Anápolis, Irlando Silva Campos, de 31 anos, conhecido na internet como Linker, vem ganhando cada vez mais espaço entre jovens e adultos.

Ele mostra aos fãs do popular game FIFA, de futebol virtual, com conteúdo do modo online. O jeito descontraído, com bordões e interação, conquistou os players.

“Os fãs têm uma participação total na minha trajetória. O canal é uma construção entre os inscritos e o trabalho que faço. Tanto que gosto de ter vídeos onde eles possam participar de alguma forma, pois eles fazem parte da história”, disse ao Portal 6.

O conteúdo de Linker oferece dicas sobre o mercado e também informações sobre alterações e novidades do jogo. O modo online, conhecido como FUT, é o foco do streamer.

Da TI para a pamonharia…e para o FIFA

Apesar do sucesso e a ascensão nas redes sociais, conquistar muitos seguidores nas mais diversas plataformas digitais e se destacar da concorrência não é nada fácil.

O caminho até aqui, porém, mostra que a fórmula do anapolino foi bem sucedida. Já são quase 45 milhões de visualizações num canal com 150 mil inscritos.

Até atingir esses números, Linker teve diversas profissões, que ele mesmo admite não terem dado certo. Formado em em Ciências da Computação, o gamer não chegou a exercer a profissão e decidiu tentar a vida de empreendedor.

“Acabou a faculdade, formei, e não tinha trabalho nenhum. Acabou o estágio e depois não consegui fazer nada. Então eu comprei uma pamonharia em funcionamento”, conta o streamer.

O empreendimento, todavia, não durou tanto tempo e os rendimentos eram baixos. “Ficou seis meses funcionando, mas não pagava, porque as vezes não ficava aberta porque não tinha milho. Era muito sazonal”, concluiu.

Antes disso, aos 17 anos, ele fazia bicos como professor de violão e de guitarra. A partir de 2018, ele decidiu se dedicar totalmente ao mundo dos games e ao streaming. A aposta foi arriscada, mas, hoje, mostrar as habilidades no Fifa é a única renda do anapolino.

Paixão de infância

Linker se apaixonou pelo mundo dos games ainda na infância, com o nostálgico Super Nintendo. Há quatro anos, decidiu criar um canal voltado para o FIFA.

O amor pelo jogo e a produção de conteúdo, inclusive, foi o que o fez fidelizar um público que não se limita ao Brasil, mas também atravessa o Atlântico e chega a Portugal, onde tem muitos fãs.

Apesar de trabalhar com o que gosta, a rotina é intensa para manter um cronograma cheio de publicações. A criatividade, claro, não pode faltar.

“Eu tenho conteúdo três vezes por dia, tenho algumas séries no canal que são semanais e todos os dias tem um novo conteúdo no jogo, às 14h”, disse.

Segundo ele, o game FIFA oferece muitas possibilidades que, mesmo com as reclamações de alguns fãs, acabam prendendo a atenção de quem joga.

“Eu escolhi por ser o que mais jogo e mais gosto de jogar, acabei adquirindo bastante conhecimento e decidi focar apenas nele”, explicou.

A lém de se dedicar a organizar os conteúdos que entram diariamente no canal, a profissão exige que Linker e outros streamers busquem novos seguidores em outras redes sociais, como o TikTok e Kwai.

O anapolino tem quase 4 mil vídeos no YouTube e quer aumentar a base de mais de 150 mil inscritos em seu canal.

“Eu pretendo manter o crescimento do canal. Eu penso no futuro em criar outro canal, de outro jogo, talvez. Quando ampliar um pouco mais a equipe, eu posso pensar em me dedicar a outros jogos”, planeja.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.