PublicidadePublicidade

Mulher foi mantida como ‘escrava doméstica’ por 30 anos em Anápolis

Caso foi descoberto por meio de denúncia anônima e família terá de indenizá-la em de R$ 1 milhão

Da Redação Da Redação -
Visão aérea da cidade de Anápolis. (Foto: Reprodução)

Uma mulher foi resgatada em Anápolis pela Superintendência Regional do Trabalho de Goiás após trabalhar por 30 anos como doméstica sem receber.

O caso, divulgado pelo O Popular, foi descoberto através de uma denúncia anônima. Por meio de investigações, foi possível identificá-la e constatar que ela vivia em condições análogas à escravidão.

A ação também contou com a participação do Ministério Público do Trabalho (MPT) e do Centro de Referência Especializado de Assistência Social do município.

PublicidadePublicidade

Segundo o auditor fiscal do trabalho, Roberto Mendes, a vítima teria sido trazida para Anápolis do Maranhão quando tinha apenas 12 anos, depois de enfrentar problemas familiares.

Em 30 anos, ela teria sido colocada para limpar casa, lavar roupas e até cuidar de crianças e cozinhar, apenas para receber um teto e alimento. Dessa forma, nunca teve amigos, namorados, constituiu família e nem estudou de maneira regular.

Os suspeitos de cometerem o crime alegam que a mulher é da família.

O bairro em que vivem não foi revelado e eles poderão ser autuados por trabalho escravo e tráfico de pessoas.

Ao todo, a verba rescisória da mulher estaria em mais de R$ 1 milhão.

PublicidadePublicidade

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade