Falta de informações na rede do SUS em Goiás pode atrapalhar combate à doenças no estado

Ao Portal 6, infectologista explicou que "apagão" no sistema de saúde impede ações efetivas contra Covid-19 e H3N2

Augusto Araújo -
Aplicativo Conecte SUS está fora do ar desde dezembro, em Goiás. (Foto: Reprodução)

Desde o dia 10 de dezembro, a rede eletrônica do Sistema Único de Saúde (SUS) está inoperante em Goiás. Tem quase um mês que população e autoridades de saúde locais não têm acesso aos dados de vacinação, e serviços online oferecidos pelo SUS.

Portal 6 entrou em contato com o médico infectologista Marcelo Daher, que argumentou sobre as consequências que podem ocorrer devido a esse “apagão de dados” que perdura no estado.

“Quando a gente não sabe quantos casos existem, seja de Covid-19 ou H3N2, o prejuízo é muito grande para a tomada de decisões, a nível local, regional e principalmente nacional”.

“Se não é possível enxergar o que acontece em determinada localidade por falta de alimentação do sistema, as ações deixam de existir. Isso pode ser um problema enorme”, explicou.

Daher destacou que, para enfrentar essas doenças que causam preocupação, é necessário agilidade, para ter eficácia e evitar que as redes de saúde voltem a ficar sobrecarregadas.

“Isso é muito ruim, é perigoso. Você tem um atraso muito grande da realidade nacional. Com quase um mês sem informações em tempo real, é muito danoso para essas ações, que precisam ser tomadas imediatamente.”

Para ele, é possível que a população tenha tomado menos cuidado ao se prevenir contra as doenças, tendo em vista esses dados desatualizados.

“No momento, a situação está totalmente fora de controle, os casos estão explodindo”, comentou.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.