“Um desrespeito à UFG e uma tentativa de nos colocar uns contra os outros”, diz professora Karla Hora

Ao Portal 6, segunda na lista tríplice também prestou solidariedade às professoras envolvidas em polêmica e pregou discurso de união

Augusto Araújo -
Professora Karla Hora, vice-colocada em eleição para reitoria na UFG. (Foto: Divulgação/EECA-UFG).

A decisão do Governo Federal de nomear a professora Angelita Pereira de Lima como nova reitora da Universidade Federal de Goiás (UFG), ignorando a eleição de Sandramara Matias Chaves para o cargo, está gerando polêmicas desde que foi publicada, na última terça-feira (11).

Ao Portal 6, a professora Karla Emmanuela Ribeiro Hora, que figurou em segundo lugar na lista tríplice enviada pelo Conselho Universitário (Consuni) da UFG ao Ministério da Educação, fez críticas ao ato assinado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL).

“Entendo que a decisão proferida, ainda que dentro da legalidade normativa, significou um desrespeito à UFG e uma tentativa de nos colocar uns contra os outros”, respondeu em nota.

Posteriormente, em entrevista por telefone à reportagem, a professora destacou que a indicação surpreendeu os membros da universidade. “A gente fica perplexo, indignado, pois [a decisão] acaba conturbando o processo.”

A diretora da Escola de Engenharia Civil e Ambiental (EECA) da UFG também destacou que, em respeito à autonomia, democracia e a comunidade da instituição, o melhor cenário seria a aprovação da reitora eleita.

Karla Hora fez questão de prestar solidariedade à Sandramara Chaves, que continua no cargo de reitora em exercício até sexta-feira (14), e manifestou apoio ao mandato de Angelita Lima, que assume até 2025.

“A UFG é uma instituição grandiosa e não podemos parar. Devemos nos manter fortes, resilientes e unidos. Seguiremos juntos em defesa da UFG, das instituições federais de ensino superior e da democracia”, complementou.

A professora afirmou que ainda não houve discussões sobre a composição da equipe da nova gestão, mas destacou que, como diretora do EECA/UFG, irá colaborar com a reitora nomeada no que for necessário.

Manifestações

Diversos grupos se posicionaram contra a decisão do governo Bolsonaro, considerando a medida autoritária e desrespeitosa à vontade da maioria.

O Diretório Central de Estudantes (DCE) da UFG publicou uma carta aberta nas redes sociais, cobrando a nomeação da professora Sandramara para o cargo, exigindo o fim da lista tríplice e manifestando apoio à Angelita Lima.

A Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) também lamentou a recusa do Governo Federal à respeitar a vontade acadêmica.

Diferentes representantes da Faculdade de Informação e Comunicação (FIC) da UFG, na qual Angelita Lima é diretora, manifestaram apoio à nova reitora e também repudiaram a atitude do Governo Federal.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.