TCU quer explicações sobre o aumento no valor dos pedágios em Goiás

Reajuste foi aplicado em todas as praças administradas pela Triunfo Concebra e chegou a 168%

Augusto Sobrinho -
Pedágio da Triunfo Concebra na BR-060, em Goianápolis. (Foto: Divulgação)

A concessionária Triunfo Concebra, que administra as rodovias federais BR-060, BR-153 e BR-262, em Goiás, terá de explicar ao Tribunal de Contas da União (TCU) os aumentos nos valores do pedágio cobrados dos motoristas goianos.

A mudança da tarifa ocorreu no dia 03 de abril, quando motos, carros e caminhões/ônibus, que antes pagavam R$ 1,10; R$ 2,20 e R$4,40 respectivamente, foram surpreendidos com taxas de até R$ 2,55; R$ 5,10 e R$ 10,20.

O aumento foi de 125% na praça de Itumbiara, 131% em Professor Jamil, 137% em Alexânia e de 168% em Goianápolis. A situação resultou em um pedido de investigação do deputado federal Elias Vaz (PSB) e do senador Jorge Kajuru (Podemos).

“Esperamos uma decisão urgente porque esse aumento é absurdo. A empresa não está fazendo a manutenção das rodovias e ainda é premiada com reajuste. É uma vergonha!”, afirmou Vaz.

A solicitação foi acatada pelo TCU, nesta sexta-feira (06), que cobrou esclarecimentos da empresa e da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) sobre as suspeitas de irregularidades em um aditivo contratual.

Além disso, o órgão estabeleceu o prazo de cinco dias para a concessionária apresentar o cronograma dos projetos de obras que serão realizadas nas rodovias. O relatório será apreciado pelo relator no Tribunal, Walton Alencar.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade