PublicidadePublicidade

Esse é o melhor tipo de carboidrato para a sua dieta

Ana Teixeira Nutricionista -
carboidrato
Quando se fala em carboidrato, é comum perceber que o nutriente é rejeitado por muitos no processo do emagrecimento. (Foto: Reprodução)

Os macronutrientes (proteínas, gorduras e carboidratos) são fundamentais para o bom funcionamento do corpo. Todos os três fornecem energia para o organismo e devem constituir a maior parte da alimentação. Porém, quando se fala em carboidrato, é comum perceber que o nutriente é rejeitado por muitos no processo do emagrecimento.

Os carboidratos – também chamados de açúcares – são classificados em monossacarídeos, dissacarídeos e polissacarídeos. Contudo, para entender melhor a alimentação saudável basta saber a diferença entre carboidratos simples e complexos. Essas duas formas estão relacionadas com o Índice Glicêmico (IG) dos alimentos. Este índice é um valor dado aos alimentos com base na velocidade com que os níveis de glicose (açúcar) aumentam no sangue após sua ingestão

Os carboidratos simples têm o Índice Glicêmico maior e são absorvidos rapidamente pelo organismo. Com isso, há um pico de glicemia e, em seguida, de insulina (hormônio que retira o açúcar do sangue). Altos índices desse hormônio indicam o excesso de carboidrato no organismo, e então o carboidrato é retirado da circulação e estocado em forma de gordura.

PublicidadePublicidade

Para evitar que isso aconteça é preciso priorizar os carboidratos complexos. Estes possuem um Índice Glicêmico menor devido a sua quantidade de fibras, o que torna a digestão mais demorada e consequentemente a absorção da glicose mais lenta.

São fontes de carboidratos simples e devem ser consumidos ocasionalmente: alimentos feitos a partir de farinha de trigo branca, mel, sucos concentrados, refrigerantes, sorvetes, bolachas e outros. Já as fontes de carboidratos complexos são: alimentos integrais, tubérculos, frutas com fibras, aveia e outros tipos de farelos.

É importante entender que a qualidade dos alimentos pode auxiliar no emagrecimento, conferindo menos estímulos e mais saciedade e que excluir qualquer grupo de macronutriente não resultará na perda de peso. Lembrem-se sempre: o emagrecimento só acontece com o déficit calórico, ou seja, quando se consome menos energia do que o corpo gasta.

Ana Teixeira é nutricionista, formada pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e especialista em Nutrição Funcional. Tem consultório próprio em Anápolis e escreve todas as quartas-feiras no Portal 6. Siga-a no Instagram.

As ideias e opiniões expressas no artigo são de exclusiva responsabilidade do autor, não refletindo, necessariamente, as opiniões do site.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.