PublicidadePublicidade

Considerada a “Uber” dos ônibus, Buser já está operando em Goiânia e Anápolis

Startup, que também faz viagens entre as duas cidades, cobra muito mais barato e oferece melhor conforto que as empresas convencionais

Augusto Araújo -
Buser
Plataforma Buser chega aos grandes municípios goianos. (Foto: Divulgação/Buser)

A população de Goiânia e Anápolis já estão acostumadas com os serviços de carona por aplicativo, tais como a Uber e 99. A novidade agora é que a Buser, aplicativo de transporte intermunicipal de ônibus, chegou aos dois municípios goianos.

Quem precisa pegar o busão para realizar uma viagem de um município a outro pode comemorar: os preços dos trajetos são bem mais vantajosos do que nos terminais rodoviários tradicionais.

O Portal 6 simulou o preço de três viagens pela Buser e pela Rodoviária de Goiânia para ver a diferença entre os valores.

PublicidadePublicidade

Todas estavam marcadas para sair de Goiânia no dia 18 de outubro, mas cada uma com destino a Brasília, São Paulo e Anápolis.

Para a capital federal, o preço da viagem mais barata pela Buser custou R$ 24,90, em um ônibus com assento semi-leito.

Já na Rodoviária, o serviço com menor valor estava em R$ 44,90, em assentos executivos – um pouco menos confortáveis e reclináveis do que os semi-leitos.

Já na viagem para São Paulo, tanto o APP quanto o site da Rodoviária ofereceram o transporte de passageiros por R$ 99,90.

Contudo, pela Buser, os assentos são semi-leitos, enquanto os ônibus do terminal rodoviário eram executivos.

A maior diferença se viu no trajeto para Anápolis. A viagem mais barata oferecida pelo aplicativo custa R$ 9,90, com assentos semi-leito.

Já na Rodoviária, o valor mínimo para uma viagem em assento convencional – não reclinável e “menos confortável” – foi de  R$19,54.

Mas por que é tão barato?

A Buser não se identifica como uma empresa de transportes.

A plataforma afirma ser uma “ponte” para facilitar o caminho entre as empresas de fretamento de ônibus e os passageiros.

Sendo assim, os passageiros estariam investindo no frete do ônibus, ao agendar uma viagem pela plataforma.

No site insitucional, a Buser explica como funciona esse modelo de transporte, denominado “Fretamento Colaborativo”, já que os passageiros estariam dividindo esse custo entre si.

Portanto, é um modelo de transporte diferente do oferecido pelos terminais rodoviários, onde o cliente paga o valor da passagem.

A empresa explica que todas as empresas que oferecem as viagens fretadas estão devidamente regularizadas para tais serviços e que respeitam padrões de qualidade, segurança e conforto.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade