Prefeitura de Anápolis publica novo edital para pagar faculdade de estudantes; veja como conseguir uma bolsa

Interessados precisam se atentar aos requisitos mínimos e datas de inscrição

Caio Henrique -
Programa vai beneficiar cinco mil estudantes de baixa renda. (Foto: Reprodução)

Foi publicado na edição mais recente do Diário Oficial do Município (DOM) o novo edital do programa “GraduAção”, que irá conceder 150 bolsas de estudos para universitários das redes de ensino particular em Anápolis.

Da totalidade de bolsas que serão oferecidas pela Prefeitura, 100 terão caráter de ajuda parcial e as outras 50 irão cobrir a mensalidade de forma integral.

Dentro deste cenário de cobertura total, 20 oportunidades serão destinadas exclusivamente aos cursos de Medicina e Odontologia – sendo dez para cada.

As demais 30 serão divididas entre os demais cursos que possuam uma mensalidade de, no máximo, R$ 1900.

As inscrições estarão disponíveis a partir do dia 18 de dezembro e seguirão abertas até às 23h59 do dia 23. Os interessados devem preencher o formulário através do site graduacao.anapolis.go.gov.br.

Ter residido em Anápolis pelos últimos três anos, cursado o Ensino Médio na cidade, possuir renda familiar de até seis salários mínimos (para bolsa parcial) e três salários mínimos (para integral) e ter apenas um bem imóvel registrado no núcleo familiar são alguns dos requisitos mínimos de entrada.

O processo seletivo será composto por quatro etapas, incluindo envio de documentação requerida, entrevista pessoal e visita domiciliar.

A expectativa é de que todas as fases sejam finalizadas, e o resultado final divulgado, no dia 23 de fevereiro de 2022.

Mais informações no edital completo, disponível na edição do dia 10 de dezembro do DOM.

Em tempo

Um edital para o programa havia sido divulgado há mais de um mês pela Prefeitura, no dia 29 de novembro.

Entretanto, ele foi cancelado na última quarta-feira (08), após anúncio em entrevista coletiva da secretária de Integração Social, Esporte e Cultura, Andrea Lins, a presidente da comissão de coordenação do programa GraduAção, Flávia Xavier, e o procurador do município, Carlos Alberto Fonseca.

O motivo foram algumas falhas no algoritmo responsável pela leitura da renda dos participantes, que poderia gerar prejuízo para alguns dos participantes.

Ao invés de identificar a renda bruta familiar, o sistema fazia a seleção através da renda per capita (valor total dividido por cada integrante da família).

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.