Tudo pronto para Base Aérea de Anápolis receber um dos caças militares mais potentes do mundo

Para piloto, aeronave representa um salto tecnológico da Aeronáutica que vai resultar na soberania do espaço aéreo do país

Augusto Sobrinho -
Conforme o contrato, em 2027 todos os 36 aviões estarão no Brasil. (Foto: Tânia Rêgo/Abr)

Recém chegados ao Brasil, os caças Gripen FAB 4101 e FAB 4102 receberam o batismo operacional, na sexta-feira (22), e aguardam apenas a certificação militar antes de virem para a Base Aérea de Anápolis e vão integrar o Esquadrão Jaguar.

No Dia da Aviação de Caça, a Força Aérea Brasileira (FAB) recepcionou os dois primeiros aviões, desenvolvidos pela empresa sueca de defesa e segurança Saab, dos 36 contratados pelo Governo Federal e que devem ser entregues até 2027.

O piloto de ensaio, major Abdon Rezende de Vasconcelos, do Instituto de Pesquisas e Ensaio de Voo da FAB, diz que as aeronaves representam um salto tecnológico da Aeronáutica que vai resultar na soberania do espaço aéreo do país.

“É uma aeronave multimissão, executa missões em ar e em solo de reconhecimento com equipamentos mais modernos dos que temos e também novos sensores estão sendo incorporados”, explica.

Além disso, na visão do comandante da FAB, tenente-brigadeiro do ar Carlos de Almeida Baptista Junior, o elevado grau tecnológico das aeronaves colocará o Brasil novamente na vanguarda da defesa aeroespacial do cenário mundial.

Outras quatro aeronaves ainda serão entregues até o fim deste ano e, conforme o contrato, em 2027 todos os 36 aviões estarão no Brasil. Parte deles também serão fabricados na planta da Embraer, em Gavião Peixoto, São Paulo.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade